22 Mar, 2019

Dala Stella lança "A ARTE MUDA DA FUGA" em São Paulo

O livro inédito "A arte muda da fuga" do poeta e artista plástico curitibano Carlos Dala Stella - uma seleção criteriosa de 108 poemas feita por Marta Morais da Costa, doutora em literatura pela USP, a partir de um conjunto com aproximadamente duas mil páginas de textos, desenhos, recortes e colagens. As imagens do livro são pistas sobre o processo criativo do autor, que escreve e desenha cotidianamente em seus cadernos ilustrados há 40 anos.

Nos vazados e nas aberturas das imagens, o artista revela uma multiplicac?a?o de planos: camadas sucessivas em que continente e conteu?do se alternam e se contrapo?em. Os desenhos a nanquim do atelie?, que aparecem na abertura e no encerramento, tambe?m sa?o de autoria de Dala Stella e foram feitos especialmente para este livro.

A presenc?a da natureza é representada na obra por uma pluralidade de elementos simples - aves, a?rvores, chuva, sol, estrelas, gra?o de areia. O poeta constata com espanto as manifestac?o?es da natureza: voejam pararus, urubus, sabia?s, pintassilgos; a lesma se arrasta sobre o ma?rmore, a libe?lula esplende em vitral e a aranha tece, como o tempo. "Sa?o pequenos animais a significar enigmas da vida e da arte", define Marta.

O silêncio, presente em diversos versos do poeta, é também o título da poesia que encerra a obra. Para Dala Stella, "A arte muda da fuga" chama a atenção pela polifonia de percepções e materialidades verbais de que é feito cada poema. "Um poema não é uma linha reta entre o que o poeta sente, ou pensa, e a expressão desse sentimento ou dessa ideia. É no percurso da escrita que o sentimento de mundo se dá, num espelhamento interno e externo sem o qual a vida resultaria num simples artefato de palavra, desprovido da animação que lhe é tão cara. Um poema é um pequeno percurso de linguagem onde a vida, misteriosa e engenhosamente, se dá. A linha reta, em poesia, é sempre curva", diz o poeta.

Sobre Carlos Dala Stella

Carlos Dala Stella nasceu em 1961, no bairro de Santa Felicidade, em Curitiba. E? poeta, artista pla?stico e tambe?m contista. Formado em Letras pela Universidade Federal do Parana?, dedica-se ao desenho desde a de?cada de 80, quando expo?s na Ita?lia. Publicou os livros "O cac?ador de vaga-lumes" (poemas, 1998), "Riachuelo, 266" (contos e cro?nicas, 2000), "Bicicletas de Montreal" (fotografia e outras artesvisuais,2002) e "Ogatosemnome" (poemas, 2007). Foi finalista do Pre?mio Jabuti em 2012 na categoria Ilustrac?a?o com o livro "Quer Jogar?" (livro ilustrado, 2011). Nas artes, o autor transita por murais de cimento e vidro, telas, retratos a la?pis, nanquim e esculturas em papel, mas e? nos cadernos de atelie? que cotidianamente escreve e desenha.

Sobre Marta Morais da Costa

Marta Morais da Costa e? cri?tica litera?ria, escritora e professora. E? doutora em literatura pela USP. Nasceu em Ouro - Santa Catarina, em 1945. É graduada em Letras pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e tem Mestrado e Doutorado em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo. Professora desde 1965, lecionou no Colégio Estadual do Paraná, entre outras escolas. É professora da UFPR e da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Sempre considerou o estudo uma forma prazerosa de viver, o que veio a se estender ao ensino, em sua atividade no magistério. O interesse pelo teatro e pela literatura, principalmente vistos pelo olhar crítico, a fez produzir textos por encomenda ou por interesse pessoal.

Website: http://www.centralpress.com.br/

Tags: Wire, Portuguese